Após o sucesso de sua primeira edição, realizada em abril de 2016, a mostra HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS: CINEMA ARGENTINO CONTEMPORÂNEO volta à CAIXA Cultural Rio de Janeiro de 07 a 19 de novembro de 2017, trazendo uma seleção de 23 longas e curtas-metragens do país vizinho. O evento busca ampliar o olhar dos espectadores cariocas sobre uma das cinematografias mais fascinantes, diversas e reconhecidas internacionalmente. O patrocínio é da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal.

Com curadoria de Natalia Christofoletti Barrenha, pesquisadora de cinema argentino, e Agustín Masaedo, programador do Buenos Aires Festival Internacional de Cine Independiente (BAFICI), a programação apresenta tanto obras premiadas em festivais argentinos e internacionais quanto produções com sólidas passagens pelo circuito comercial de seu país. Apesar disso e do evidente interesse do público pela cinematografia argentina, tais filmes tiveram escassa ou nula visibilidade no Brasil (ainda que alguns estejam preparando seu lançamento comercial). A programação foi pensada em quatro eixos: mostra principal, com dez filmes realizados nos últimos dois anos; foco em homenagem à cineasta Ana Katz; foco em comemoração aos 20 anos de nuevo cine argentino; e uma exibição especial.

Como em sua primeira edição, as cineastas convidadas são alguns dos atrativos da mostra. Fruto da colaboração com o Instituto Nacional de Cine y Artes Audiovisuales (INCAA), a premiada diretora Milagros Mumenthaler estará presente na sessão de abertura conversando sobre seu tocante segundo filme, A ideia de um lago (2016).

Já a realizadora e atriz Ana Katz é uma das grandes protagonistas da mostra: serão exibidos seus quatro longas-metragens – incluindo Minha amiga do parque (2015), ganhador do prêmio de Melhor Roteiro no Festival de Sundance – e ela participará de um diálogo com a atriz Andréa Beltrão, com quem trabalhou em seu novo filme, Sueño Florianópolis, atualmente em pós-produção.

Além das cineastas, HISTÓRIAS EXTRAORDINÁRIAS receberá um dos mais influentes pensadores da cultura argentina atual: o escritor, professor e pesquisador Gonzalo Aguilar, que ministrará uma palestra sobre cinema argentino contemporâneo. Também serão realizadas sessões comentadas com a pesquisadora e professora da PUC-Rio María Celina Ibazeta, a crítica e pesquisadora da UFRJ Camila Vieira, e a historiadora e professora da UFU Mônica Campo.

Novembro ainda marca o vigésimo aniversário da estreia e premiação do filme Pizza, cerveja, baseado (1997) no Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, considerado o ponto de partida do chamado nuevo cine argentino. Assim, parte da mostra se dedica a celebrar esse momento fundacional da pungente produção cinematográfica do país. Duas décadas depois, o público brasileiro poderá se (re)encontrar com a ópera prima de Adrián Caetano e Bruno Stagnaro, mergulhar na genealogia do nuevo cine com os curtas-metragens seminais de Histórias breves I (1995) e descobrir, na selvagem loucura do documentário Bonanza (2001), de Ulises Rosell, que as rupturas desse “movimento” transcenderam o cinema de ficção.

A programação se completa com a exibição especial de um dos filmes mais aguardados dos últimos anos: o maravilhoso Zama (2017), de Lucrecia Martel, inspirado na novela homônima de Antonio di Benedetto.